Na Amazônia estão mais de 24 milhões de pessoas, em cerca de 35 mil comunidades ribeirinhas e 147 etnias indígenas. Os batistas brasileiros têm se empenhado na evangelização dos povos do norte do Brasil por intermédio do barco O Missionário, que tem conduzido caravanas de igrejas brasileiras pelas comunidades ribeirinhas onde atuam os nossos missionários, e também temos recebido caravanas de igrejas ligadas à Convenção Batista do Texas, parceira na adoção missionária.

O Projeto Amazônia tem sido uma ferramenta eficaz, reunindo os princípios da Igreja Multiplicadora e os princípios bíblicos que Deus deseja para a igreja, com a inserção dos Radicais Amazônia nas comunidades ribeirinhas. Líderes são treinados e capacitados no Centro de Formação Missionária da Amazônia. Eles vivem e se relacionam com o povo local, plantam igrejas por meio das bases missionárias, formam líderes multiplicadores e realizam ações de compaixão e graça por meio do Projeto Novo Sorriso da Amazônia, que tem por objetivo erradicar a cárie nas comunidades ribeirinhas onde atuam nossos Radicais e/ou missionários em formação. O Novo Sorriso tem atuado juntamente com o barco O Missionário, gerando ações estratégicas como as Trans Saúde, que têm levado esperança aos ribeirinhos.

Tema

Jesus: Transformação e Vida!

Texto bíblico

``Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens.`` (Tito 2.11)

Música oficial

``Entre o Antes e o Depois`` (Filipe Bitencourt)

A história de Fernanda Souza

Desde muito pequena, a radical Amazônia Fernanda Souza teve suas primeiras experiências com Deus. Foi curada de doenças e alcançou toda a sua família para Cristo. Hoje, aos 25 anos, ela está numa pequena comunidade chamada Campinas do Norte, em Manacapuru, no Amazonas. Ela descobriu o seu chamado missionário bem jovem, depois de um apelo feito num congresso de missões pelo pastor Donaldo Santos, coordenador do Projeto Radical Amazônia.

Fernanda já está perto de completar os dois anos do programa de formação. E do campo já soma belas histórias de transformação, como de Tainá, uma jovem que tem lutado para abandonar o vício nas drogas e se tornar uma líder local. Por meio do exemplo e do carisma de Fernanda, o sonho da jovem também é de se tornar um dia uma radical e poder ser uma referência positiva, se distanciando dos erros do passado e vivendo uma nova vida escrita por Deus.

Quando a radical se recorda de como foi chegar na comunidade, pela primeira vez, ela fala das dificuldades que encontrou e teve que superar uma a uma. Para uma jovem acostumada ao conforto do seu lar foi um verdadeiro desafio e choque cultural. Junto da missionária Kelma, sua dupla no período de Radical, foi necessário construir com as próprias mãos o templo onde são realizados os cultos, da estrutura até os bancos.

As pessoas se reuniam na porta da casa das radicais, e por ser uma comunidade ribeirinha, mesmo alagada em alguns períodos do ano, o trabalhou avançou e, desde então, Campinas do Norte mudou. Percorrendo a comunidade vemos como o trabalho de Fernanda e Kelma está influenciando o local e a casa-templo já está pequena para o número de membros.

A radical decidiu obedecer à voz de Deus. O isolamento, a saudade de casa, todos os gigantes que têm se levantado a cada dia não a paralisaram. Mesmo jovem, ela tem sido um poderoso instrumento de Deus na transformação de vidas. Para a radical é incrível tudo o que Deus é capaz de fazer, e Ele vai além do que se possa imaginar.

Fernanda diz que em nada tem a própria vida como preciosa, se não seguir o ministério que lhe foi dado, seguindo os passos dos apóstolos em Atos 20.24. E assim, por meio da vida e ousadia dela, pessoas estão descobrindo que só Jesus é transformação e vida. Para ela é impossível viver de forma que as pessoas não conheçam esse amor!